quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Como o estresse se manifesta em seu corpo sem que você perceba

Charlotte Watts, pesquisadora dos efeitos do estresse no corpo, estuda as formas como esse tipo de sobrecarga mental afeta a nossa saúde e nos faz ter algumas deficiências de vitamina, inclusive.
De acordo com Watts, quando o estresse está em alta, nossos nutrientes são utilizados de forma mais intensa, diminuindo nossa energia, prejudicando o funcionamento do cérebro, desiquilibrando os níveis de hormônios e prejudicando o funcionamento da imunidade.
Todos esses processos podem nos fazer ter algum tipo de deficiência nutricional. Em uma relação de sintomas publicada no The Independent, Watts revelou os sintomas que essas deficiências podem nos causar.
Lábios rachados podem indicar falta de vitamina B6; dentes rangendo, de vitamina B5; pontinhos brancos nas unhas podem sinalizar falta de zinco; constipação intestinal ou diarreia podem ser sinais de deficiência de magnésio; sangramento nas gengivas de vitamina C; manchas nas mãos, de vitamina E; e infecções na garganta podem indicar falta de vitamina A.

Mais efeitos

Além dessa questão dos nutrientes, uma pesquisa realizada pela Universidade da Flórida revelou que mulheres que viveram experiências muito traumáticas têm também mais chances de acumular gordura na região abdominal e de se tornarem obesas.
A autora da pesquisa, Michelle A. Albert, disse que a relação entre comer muito ou pouco é investigada já há tempos, em termos de estresse. Ela explicou também que atividades neuro-hormonais liberam cortisol quando estamos muito estressados, e que isso, por si só, contribui para o ganho de peso.
Para nos ajudar a não enxergar o estresse como um grande vilão apenas, pesquisadores de Illinois estudaram os efeitos benéficos de poucas quantidades de estresse e descobriram que, quando o estresse não acontece em demasia, pode melhorar a saúde das nossas células, já que pequenas doses de cortisol atuam como protetores celulares, que retardam o envelhecimento e diminuem as chances de desenvolvermos doenças como o Alzheimer.
Reprodução: Megacurioso
Leia mais

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Novembro Azul alerta homens sobre a importância do exame de próstata.

O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens no Brasil. E é de olho naqueles que não se cuidam que a campanha Novembro Azul foi criada. O objetivo é levar informação e reduzir os números de mortes por causa da doença. Na Paraíba, pelo menos um homem é internado por dia com esse tipo de câncer.
A doença é silenciosa e quando apresenta algum sintoma, pode ser tarde demais. O câncer de próstata é o segundo tipo de câncer que mais mata homens na Paraíba, perdendo apenas para o de pulmão.
A sorte é que é possível prevenir. Um simples exame de sangue conhecido como PSA pode ser a salvação. Os médicos recomendam que o primeiro PSA seja feito aos 50 anos, para a maioria dos homens, e aos 45 para aqueles que têm histórico de câncer na família.
Mas para um diagnóstico mais preciso, os médicos recomendam também o toque retal. "A combinação entre o exame de sangue com o exame físico, que é o toque retal, é o que existe de melhor atualmente para a detecção precoce do câncer de próstata. O câncer de próstata detectado incialmente tem uma chance de cura de 90%. Mais uma justificativa para o homem se cuidar antes de sentir alguma coisa", explica o urologista Jarques Lúcio.
O senhor Henrique, de 72 anos, fez o primeiro exame preventivo há 10 anos e depois disso não relaxou mais com os cuidados. "Já fiz dois exames já, graças a Deus. Foi tranquilo, não sente nada", diz ele.
A tendência é que homens mais jovens, mais informados e menos preconceituosos, encarem melhor o tratamento. O vendedor Francisco Freire está com 52 anos e desde os 47 faz o exame PSA associado ao toque retal. Para ele, manter os cuidados com a saúde em dia é importante para viver bem e com tranquilidade. "Ainda dá pra bater uma bolinha, correr atrás da bola, viver com qualidade de vida. Tomar um banho de mar, caminhar...", diz ele.
Leia mais

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Dicas para fazer uma boa prova no Enem

Já é nesta semana e na próxima a prova que você esteve esperando o ano todo: o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Agora é hora de prestar muita atenção para não colocar tudo a perder por errinhos bobos, como chegar atrasado ou passar uma questão errada para o gabarito. Para ajudar, a gente listou algumas dicas de como fazer uma boa prova.

1) Alimente-se antes
É importante se alimentar antes da prova, porque você ficará muitas horas sentado lendo as questões. Como você precisa sair cedo, o ideal é almoçar entre as 11h e 12h. Se não tem o hábito de comer nesse horário, faça um lanche leve. Não se esqueça também de levar comidinhas para a hora da prova.
2) O que levar para a prova
Leve apenas o essencial:
– Documento de identificação oficial com foto (RG, carteira de motorista, passaporte, carteira de trabalho, certificado de dispensa de corporação e certificado de reservista são aceitos. Se você perdeu sua identidade, leve o boletim de ocorrência, que deve ter sido tirado menos de 90 dias antes da prova)
– Cartão de confirmação de inscrição (pode ser o enviado por correio ou impresso pelo site do Inep)
– Caneta de tinta preta com o tubo transparente.
– Lanchinhos (água, barrinha de cereal, chocolate…)
Deixe em casa: lápis, lapiseira, borracha, celular, relógios, máquina calculadora, agenda eletrônica, smartphone, tablet ou qualquer receptor ou transmissor de dados e mensagens. Todos esses materiais, caso sejam levados, deverão ser depositados na embalagem porta-objetos que será distribuída a todos os participantes e que precisará ser guardada embaixo da carteira. Também não dá para usar lenço, boné ou óculos escuros.
3) Saia cedo de casa
A prova começará às 13h (horário de Brasília) nos dois dias. Para evitar imprevistos, confira o trajeto até o local de prova com antecedência e verifique quais transportes públicos precisará usar ou qual a rota para fazer de carro. Leve em consideração que poderá ter trânsito – afinal, quase 6 milhões de candidatos que farão o Enem.
O professor e coordenador do cursinho Anglo, Alberto Francisco do Nascimento, recomenda que você chegue às 12h no local. “Esse é um bom horário para quem não quer chegar apressado à prova”, explica. Chegar em cima da hora podeprejudicar o seu desempenho na prova ou até mesmo fazer com que você não consiga entrar no prédio para o exame.
Atenção: Os estudantes que moram em estados que não participam do horário de verão devem se atentar ao relógio para não perder a prova.
4) Cuidados durante o Enem
– Se ficar nervoso, faça exercícios de respiração. Feche os olhos e respire fundo, soltando o ar bem devagar. Lembre-se do porque você está ali e tente retomar o equilíbrio.
– O caderno de questões com Língua Estrangeira virá com as duas opções (Inglês e Espanhol). Cuidado para não se confundir e responder um idioma diferente do que você preencheu na inscrição.
– Evite perder tempo escolhendo questões para resolver. Siga a sequência e marque as que você tiver dúvida para fazer depois. Assim você não corre o risco de terminar o tempo e você precisar chutar várias questões sem nem ao menos ler o enunciado.
– Se sobrar questões em branco no final da prova, faça um chute consciente. São 5 opções, 20% de chance de acerto. Se fizer por eliminação, suas chances de acerto aumentam.
– Evite passar todas as questões para o gabarito no final. São muitas e você pode se confundir e, se demorar muito para notar o erro, pode acabar preenchendo muitas lacunas incorretas. Passe para o gabarito as que você já tiver certeza que sabe a resposta logo após responder a questão.
– Faça uma boa leitura da questão. Muitas são contextualizadas e dependem apenas da sua interpretação, o que significa que a resposta pode estar no próprio enunciado.
– Aproveite bem o tempo de prova. Não existe mal em ficar entre os últimos a sair (só tome cuidado para não faltar tempo). Se você terminar a prova e ainda tiver um tempinho, faça uma pequena revisão antes de passar as questões para o gabarito.
– A redação vale tanto quanto as outras provas, ou seja, 1/5 ou 20% do total da nota. Por isso, tome cuidado para não fugir do tema, motivo que mais faz com que as redações sejam anuladas.

Por fim, desejamos boa sorte! ;D

Leia mais

terça-feira, 31 de outubro de 2017

Existe algum jeito de fazer o soluço parar?

Soluços são contrações musculares causadas na região do diafragma, o que força a entrada de ar nos pulmões e, simultaneamente, ocasiona o fechamento da glote – uma estrutura localizada na garganta cuja função é produzir som.

Essas contrações e o som típico que elas fazem são bastante incômodos e irritantes, principalmente quando se está no trabalho, na escola, na fila do banco ou em qualquer outra situação do gênero – sempre tem alguém que aparece com alguma receita milagrosa e infalível, repare. Mas será essas táticas funcionam?


Entre as “receitas” mais populares, estão prender a respiração pelo máximo de tempo possível, levar um susto, comer açúcar, beber água sem intervalo, tampar os ouvidos e por aí vai. A boa notícia é: essas receitas não funcionam nem fazem sentido, mas, se você tiver um pouquinho de calma, vai perceber que o incômodo vai passar naturalmente, rapidinho.
Se você for do tipo que prefere prevenir a remediar, saiba que o soluço pode ser causado por excesso de álcool, crise de riso, comida apimentada, comer rápido demais e fumar. 
Reprodução: Megacurioso

Leia mais

domingo, 29 de outubro de 2017

Cigarros eletrônicos não fazem mal à saúde? Com certeza?

Os cigarros eletrônicos estão cada vez mais populares, e não é difícil encontrar pessoas que, na tentativa de parar de fumar o cigarro normal, acabam aderindo à moda dos vaporizadores.
O problema maior está no fato de que esse produto oferece uma opção maior de essências com sabores, e isso chama a atenção também do público mais jovem e de pessoas que não costumavam fumar o cigarro normal.
Atraídas pela lógica irreal de que esse tipo de cigarro não faz mal à saúde, mais e mais pessoas fazem uso do produto nos mais variados ambientes e momentos. Mas será mesmo que o cigarro eletrônico é inofensivo?
A realidade é que de inofensivo esse produto não tem nada, e pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte descobriram que o cigarro eletrônico apresenta substâncias que causam danos pulmonares graves, além de doenças como fibrose cística, lúpus e psoríase.

Melhor nem experimentar

Os cientistas descobriram também que as pessoas que fumam esse tipo de cigarro têm uma secreção de muco associada à bronquite crônica e à asma. “Há essa confusão sobre se os cigarros eletrônicos são mais seguros do que os cigarros comuns porque os efeitos adversos dos cigarros eletrônicos só começaram a ser estudados agora”, explicou o Dr. Mehmet Kesimer, líder da pesquisa divulgada pelo The Independent.
De acordo com ele, a verdade é que os modelos eletrônicos podem ser tão perigosos quanto os cigarros comuns, embora as pesquisas revelem que os danos pulmonares provocados pelos modelos eletrônicos são únicos – a questão é deixar claro que esse tipo de cigarro não é nada inofensivo e não deve ser considerado uma alternativa saudável.
Para chegarem a essas conclusões, os pesquisadores analisaram amostras de catarro de 44 pessoas – entre elas, fumantes de cigarro comum, de cigarro eletrônico e não fumantes. Os resultados revelam que é melhor ficar longe tanto do tabagismo comum quanto do eletrônico, e, se você nunca experimentou nenhum desses tipos de cigarro, continue assim: a melhor coisa que você faz é nunca dar uma chance para esse vício.
Reprodução: Megacurioso
Leia mais

sábado, 28 de outubro de 2017

Vai pintar o cabelo? Leia essas dicas!

O que não falta hoje em dia nos salões de beleza é uma gama imensa de cores para pintarmos nossas madeixas. Com a recente tendência das colorações mais vivas e cheias de brilho, então, acabamos com uma paleta cada vez mais variada de opções de cores.
Ainda que seja bacana dar uma repaginada no visual, um estudo realizado recentemente em Londres revela que as mulheres que pintam os cabelos frequentemente têm 14% a mais de chances de desenvolver câncer de mama.
O responsável pela pesquisa, Dr. Kefah Mokbel, do Hospital Princess Grace, diz que o recomendável é que se pinte os cabelos até, no máximo, cinco vezes por ano. Para ele, é bacana procurarmos produtos que sejam mais naturais também.
Embora seja necessário um trabalho adicional para confirmar nossos resultados, nossas descobertas sugerem que a exposição a corantes capilares pode contribuir para o risco de câncer de mama”, disse ele, em declaração publicada no The Independent.
Mokbel frisou, ainda, que essa associação entre uma coisa e outra não representa uma evidência sólida de causa e efeito. Outros estudos, no entanto, como o citado por Sanna Heikkinen, e que foi realizado na Finlândia, também já tinham encontrado uma relação entre pintar os cabelos e um aumento no risco de desenvolver câncer de mama.
Assim como Mokbel, Heinkkinen disse que não se pode ter certeza ainda sobre o assunto: “Pode ser, por exemplo, que as mulheres que usam corantes capilares também usam outros cosméticos mais do que as mulheres que relataram nunca usar corantes capilares”, explicou.
Fonte: Megacurioso
Leia mais

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Inseto 'alienígena' é filmado na Indonésia e deixa moradores em pânico; assista

O vídeo de um inseto “misterioso” começou a fazer sucesso na internet após assustar moradores da Indonésia. De acordo com o Daily Mail, as imagens da criatura foram compartilhadas no Facebook pelo perfil “Gandik”, que indica ser um residente da regência de Kebumen, em Jawa Tengah.



Com tentáculos pulsantes e cabeludos, a filmagem do inseto  já foi assistida mais de 38 milhões de vezes. Entretanto, o mistério sobre a natureza do animal não durou muito. De acordo com o mesmo portal britânico, a criatura é apenas uma espécie muito peculiar de mariposa. Assista ao vídeo e tire suas próprias conclusões:




Encontrada na Indonésia, Índia, Sri Lanka, Japão, Tailândia e Austrália, a mariposa da espécie  Creatonotos gangis foi identificada por especialistas que esclareceram, enfim, algumas de suas características anatômicas. 
Segundo o jornal The West Austrália , os seus tentáculos "dançantes" são, na realidade, corematas. Órgãos responsáveis por produzir e espalhar os feromônios hidroxidanaidais, eles ajudam o animal a atrair machos da mesma espécie.

Leia mais

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Grávida de 8 meses, mulher tem útero perfurado após chute de bebê

Grávida de 8 meses, mulher tem útero perfurado após chute de bebê

Um caso raro deixou médicos estarrecidos na China. Uma grávida de 8 meses teve o útero perfurado após chute do bebê, no início de outubro. A mulher, identificada como Zhang, sentiu fortes dores na barriga e decidiu procurar o hospital. Após exames, os médicos disseram que ela apresentava alterações na pressão sanguínea, pulsação e respiração, levantando a suspeita de ruptura no útero - situação que foi confirmada por uma ultrassonografia. Foi ai que os médicos tomaram outro susto: o bebê tinha uma das pernas do lado de fora do órgão.

Por conta do risco, foi realizada uma cesariana de emergência e ambos passam bem. A história de Zhang foi contada pelo próprio hospital em sua página no Weixin, uma versão chinesa do Facebook. De acordo com o obstetra Michael Cackovic, do Centro Médico Wexner, da Universidade Estadual de Ohio, a condição é rara e afeta 0,07% das gestações. "Mas certamente é possível que um chute possa ter sido o último impulso para atravessar essa camada (mais fina do útero) — comentou o obstetra, em entrevista ao site Live Science.

Leia mais

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Cientistas desvendam por que leite materno tem moléculas de açúcar que bebês não digerem

Cientistas desvendam por que leite materno tem moléculas de açúcar que bebês não digerem

O ser humano nasce com 3,5 kg e 45 cm de comprimento, em média. A partir daí, nas primeiras semanas de vida, é quando crescemos mais rápido: quase um centímetro por semana. E o único alimento que ingerimos para sustentar esse impressionante ritmo é o leite materno, que contém tudo que é necessário para o desenvolvimento de um bebê.
























Para produzi-lo, o corpo da mãe precisa usar componentes de si próprio. Por exemplo,
derreter a gordura que armazena, primeiramente dos quadris e das nádegas. Por isso, pode parecer estranho que um dos principais ingredientes do leite materno não possa ser digerido por humanos.

"O leite materno é tudo o que o bebê necessita nutricionalmente e muito mais", destaca Bruce German, do Departamento de Ciência e Tecnologia Alimentícia da Universidade da Califórnia em Davis, nos Estados Unidos. "É repleto de água, proteínas, gordura, açúcar... Mas o surpreendente é que tenha uma enorme quantidade de oligossacarídeos complexos, que são totalmente indigestos para bebês."
Os cientistas descobriram há mais de meio século que essas moléculas complexas de açúcar não são absorvidas pelo intestino e não têm nenhum benefício nutritivo, mas não sabiam explicar sua presença no leite materno. German e sua equipe se dedicaram a resolver esse enigma e a descobrir por que as mães produzem grandes quantidades dessas moléculas.
"Nossa hipótese era que, se essas moléculas não alimentavam o bebê, deviam alimentar outra coisa: bactérias", diz German.

Proteção

Amostras de oligossacaerídeos foram entregues ao renomado microbiólogo David Mills. "Ele testou bactérias até encontrar uma que crescia com essas moléculas", explica German.
bifidobacterium infantis é a única que pode se alimentar dos oligossacarídeos do leite humano. Assim, deduziu-se que as moléculas indigestas estavam presentes nele para que essas bactérias pudessem crescer e florescer.
Um bebê vive em um ambiente estéril e protegido até o nascimento, quando começa a adquirir bactérias do seu entorno. O intestino delgado é particularmente suscetível a bactérias infecciosas patogênicas.
Assim, como essa bactéria floresce nos oligossacarídeos, o intestino delgado se enche de bifidobacterium infantis, cobre o intestino do bebê e impede que qualquer patógeno cresça. Ou seja, as mães literalmente recrutam outra forma de vida para cuidar de seus bebês após o parto.

Prevenção

Na unidade neonatal de Sacramento, na Califórnia, os médicos estão testando um novo tratamento para ajudar bebês prematuros.
Um dos maiores desafios enfrentados por esses recém-nascidos é conseguir que as bactérias adequadas colonizem seus intestinos. Sem isso, correm o risco de desenvolver uma grave infecção intestinal, a enterocolite necrosante. Caso o tecido intestinal esteja infectado, podem surgir orifícios na parede do órgão, o que chega a ser fatal.
Por isso, os médicos começaram a alimentá-los com uma mistura de leite materno e bifidobacterium infantis. E mediram depois um aumento de bactérias nas amostras de fezes dos bebês. As evidências acumuladas até agora mostram que a bactéria pode prevenir a enterocolite necrosante.
O trabalho de German e sua equipe estão ampliando nossa compreensão de como bactérias podem ser benéficas e ajudar nosso organismo.
Há uma comunidade diversa de micróbios que vivem em cada um de nós: é o nosso microbioma. À medida que crescemos, ele cresce com a gente: a comida que ingerimos, os lugares que visitamos, as pessoas com quem interagimos, cada nova experiência modifica esse bioma. É algo tão individual quanto nossas digitais.
Temos milhares de espécies de bactérias vivendo em nossa pele, por exemplo. Em cada centímetro quadrado, pode haver mais de 1 milhão de bactérias ou mais. Um estudo identificou mais de 1 mil espécies que até então eram desconhecidas simplesmente a partir de amostras do umbigo.
Esses bilhões de bactérias com que convivemos não são parasitas. Há pesquisas que mostram que um desequilíbrio nas bactérias intestinais pode ter um enorme impacto no funcionamento dos nossos corpos.
A obesidade, a pressão arterial e doenças cardíacas já foram vinculadas a microbiomas deficientes. É possível ainda que afetem nosso estado de ânimo, causando depressão.
Por isso, é essencial que tenham um bioma de bactérias saudável - desde o berço.
Reprodução: BBC brasil
Leia mais